Tuesday, August 28, 2007

Observando II


Por causa de toda essa moda estamos vendo mais Los com temas “self portrait”, “Me” “I am”... é a moda egocentrista!! Antes havia 3 tipos de scrap, o scrap de um evento, de um momento ou o conjunto de momentos (uma história) . Agora surgiu uma terceira modalidade... O scrap-estilo. Esse scrap nada tem de momentos ou evento especiais. São scraps feitos até mesmo sem fotos. O que interessa aqui é o estilo de cada um, a capacidade de criar algo lindo (ou não!). Muitas vezes a pessoa até perde a mão... Tem uma porção de lixo por aí que muitas pessoas acham artístico!! Afff!! Basta ser renomada para encher a galeria de comentários... Eu consigo achar beleza em vários estilos. Adoro muitas pessoas do freestyle (e tem algumas que acho terrível), gosto de alguns vintages, gosto de alguns estilos góticos, gosto de algumas tradicionais, e por aí vai... Mas o que acho mais legal em tudo isso é a capacidade criativa... As coisas mirabolantes que as pessoas inventam, criam, transformam, sem ficar feio. Tem gente que faz scrap sempre igual, não muda, isso acho cansativo. Basta olhar uma página para conhecer o álbum todo. Por mais bonito, enjoa. Tem gente que não arrisca, não tenta, não experimenta novas idéias, formatos, cores... E tem as pessoas que não precisam de nada disso, o scrap sai como magia, enchem os olhos. Parece algo nato!

7 comments:

Isabelle Bandeira said...

Concordo com suas observações (posts I e II). Inclusive essa semana uma pessoa que está começando no scrap agora pegou a última revista e me perguntou: "o que é isso, o que essa pessoa está querendo mostrar, se nem a foto a gente consegue ver direito". Acho q nesse afã de superação, criou-se uma certa "rivalidade" entre as scrappers e quem perdeu foi a arte em si por deixar de lado sua essência. E quer saber, gostei tanto do q vc falou que vou "liftar" e colar lá no meu blog. VAMOS FAZER UM MOVIMENTO EM PROL DO SCRAPBOOKING!

kaká said...

Adorei!!!!!

Paola said...

Sem dúvida "marca" é uma parte muito forte de qqr produto. E um LO não deixa de ser um produto. Qta coisa feia a gente vê por aí o pessoal usando só pq é de marca...
O que eu acho importante é vc fazer o que vc gosta. Sempre vão existir as "fashion-victims".E aquelas que acham lindo ser assim.
Bjs

Paola said...

Ah, e não acho que exista certo ou errado em se tratando de arte. Essência aí é um conceito muito subjetivo (falando sobre o com da Isabelle). Olha eu debatendo nos comments, hahahahaha!
Bjs

Georgia Visacri said...

Bom, amore, eu já era fã do seu blog, agora com esses textos é que eu não saio mais daqui.
Mas, concordo contigo e também com o que a Isabelle falou. Hoje a capacidade de criar e inovar está acima da vontade de guardar as memórias (minha opinião) e, em alguns momentos, acaba valendo mais usar algo "que fica legal, ou combina mais" (digo isso em todos os aspectos, não só materiais, mas frases, títulos) do que algo que realmente tenha algum significado. Adorei seu texto, acho que você expressou bem a questão. Bjussss

IVY said...

OI PATRI...SABE QUE AGORA O BLOG DA DRI SANTOS TODO MUNDO BATE PONTO TODO DIA NÉ.AÍ VI O SEU TEXTO E GOSTEI DA SUA ATITUDE EM FALAR DO QUE ACONTECE NO SCRAP.E SABE QUE JA ADMIRAVA SEUS TRABALHOS E COM CTZ VC É UM TALENTO NATO.BJS
PASSA LÁ NO MEU BLOG SE QUISER ;)

thati penna said...

Oi Patri
Vim dar meu pitaco tambem!
Olha , eu acho o scrap art, nada mais é que um estilo, uma técnica. Uma coisa não anula a outra. Tem gente que faz scrap de momentos, outras de eventos, umas para mostrar para familia, outras para guardar para si mesmo. E cada estilo tem seu território, sua tribo. Se você frequentar blogs e foruns do pessoal do digital, vai achar que o tradicional nem existe, se frequentar o SBB vai ver que lá o pessoal tende a ser tradicional, não vai encontrar uma "Anne", ou uma "Luzinha", legitimas representantes do Scrap como obra de arte. Se vc gosta e faz esse estilo, o Scrapdiary e o SIS são as melhores "praias". Acho que frequentar certos "nichos" pode causar essa miopia. A gente vê uma coisa e de repente acha que o mercado tá assim. Mas como disse a Paola ai em cima, os numeros provam o contrario, o scrap tradicional é o que mais vende, porem em se tratando de "vitrine", o scrap art chama mais atenção e é mais divulgado por um pessoal mais novo e antenado.